Pesquise no blog:

Carregando...

quinta-feira, 4 de fevereiro de 2016

Um olhar sobre o que é amigo...


Amizade é reciprocidade! 
E quando digo isso não estou dizendo que se alguém te dá presente o certo é você retribuir, mas reciprocidade de carinho, de atenção, de cuidado. A gente muitas vezes confunde outros tipos de sentimento com amizade. Muita gente reclama que não é valorizado, mas faz visitas em jardins que o jardineiro pouco se preocupa, ou pouco vê do que você faz. Amizade é mais do que isso. É a reciprocidade do afeto, da confiança, da fé um no outro, da recíproca admiração. Do apoio mútuo. Olhe para a sua vida e repare se você não está permitindo o que não te cabe mais. Se a amizade não está sendo só da sua parte. Tudo bem, nem sempre a reciprocidade tem duas vias o tempo todo, mas repito: o que você permite continua. Você merece o melhor. Então olhe bem e analise o que você tem permitido em sua vida. Quando a sua vibe e a sua atitude muda, consequentemente o seu ciclo de amizades também. 
Não acredito que existam maus amigos, existem pessoas que não são nossos amigos, embora a gente acredite que sejam por um tempo. Dê um basta onde a reciprocidade parou de visitar há tempos e construa amizades que tenham pontes que podem ir e vir. Esse é o jardim que realmente faz nosso coração florir.

Meire Oliveira
imagem: google


Esteja onde estiver na sua vida...


"Esteja onde estiver na sua vida, seja o que for que tenha criado, aconteça o que acontecer, saiba que está sempre a fazer o melhor possível com a compreensão, a consciência e o conhecimento que tem. E quando souber mais fará de forma diferente.Não se desmereça por estar onde está. Nem se culpe por não conseguir progredir mais depressa ou melhor. Para realizar as mudanças, precisamos sempre nos apoiar com amor."

Louise Hay
imagemdaqui


quarta-feira, 3 de fevereiro de 2016

Às vezes, para viver temos que ignorar muitas pessoas...


Às vezes, para viver temos que ignorar muitas pessoas
Para sermos felizes temos que saber ignorar muitas pessoas. Temos que aprender a viver e a esquecer aquelas palavras ou sentimentos que pretendem nos anular.

Há pessoas que são conflitivas e que nos atormentam com suas queixas, com seus julgamentos e com seus dramas. Isso pode ser cansativo, entristecedor e altamente tóxico, pois condiciona o nosso bem-estar à incerteza de suas ações.

Por isso temos que deixar de nos alimentar daquelas trocas que nos sugam a energia e nublam nossa realidade. Portanto, o primeiro que temos que aprender é a ignorar certas pessoas naqueles momentos nos quais estão nos fazendo mal.

Afaste-se de tudo o que se afastar de você

Afaste-se do que faz mal, do que escurece sua vida, do que se torna pesado. Afaste-se das pessoas tóxicas porque sua saúde irá agradecer. Não permita que seu mundo se desmorone.

A balança emocional deve ser inclinada para o lado do seu bem-estar, mas talvez seja necessário abraçar os demônios, para conseguir vê-los como “menos ruins”.

Não se esqueça de que, de vez em quando, temos que nos descarregar. A mente, assim como o corpo, deve se desintoxicar de radicais livres, de emoções negativas, de passados conflitivos, de pessoas que a desestabilizam.

Deixar ir embora o sofrimento

Dizer adeus ao sofrimento pode ser uma tarefa complicada, mas às vezes é importante parar e restabelecer nossas prioridades. Por isso devemos agir para deixar escapar as emoções dolorosas, aquelas que não são saudáveis e que nos atormentam, que nos impedem de evoluir.

Como em seu dia disse Epícteto, “o que nos perturba não são os fatos, mas o que pensamos sobre eles”. Por isso é importante que saibamos identificar, expressar e valorizar nossas emoções de maneira estratégica. Vejamos a seguir:

1. Expressando nossos sentimentos e emoções
Às vezes não precisamos que uma mente brilhante nos fale, mas sim que um coração paciente nos escute. Nossas emoções nascem para ser experimentadas, por isso retê-las por medo só consegue turvar nossa realidade.

2. Analisando as crenças que sustentam as emoções dolorosas
É natural nossa preocupação em render bem nos estudos, mas não podemos nos aterrorizar pelos nossos erros, pois dessa forma só alimentamos maus sentimentos. Ou seja, não há pior tormenta do que a que alguém se forma na cabeça.
Não dá na mesma pensar que “é terrível que nosso filho tenha saído de casa” do que acreditar que “embora fiquemos tristes porque ele partiu, é normal que tenha feito isso”.  A primeira frase favorecerá o surgimento da ansiedade e da depressão.

Este mesmo raciocínio pode servir para as nossas diversas emoções. Dessa maneira, temos que brigar para evitar a vergonha, mas não a decepção, para eliminar a culpa, mas não o remorso, e para nos desfazermos da ira, mas não do aborrecimento.

3. Transformando, liberando e filtrando esses sentimentos e emoções
Analisar nossas emoções e sentimentos não é suficiente; devemos explorar o que se esconde por trás deles. Esta é a única maneira de nos libertarmos. Pode ser que seja inevitável ter uma parte “não saudável” em nossas emoções e pensamentos, mas o que temos que ter claro é que não devemos alimentá-la.

Não deixe ir embora as pessoas que tornam seu mundo bonito

Não deixe ir embora as  pessoas que tornam seu mundo mais lindo, deixe partir as que o anulam. Conserve em sua vida tudo aquilo que o ajuda e aquilo que o torna uma pessoa melhor.

Sofrer, aguentar e sacrificar sua vida não o valida como ser humano, nem o faz melhor, só o atormenta e o diminui. Rodear-se de pessoas negativas consegue obscurecer tudo aquilo que brilha em nós.

Cuide e enriqueça sua vida com relações que sustentem seu bem-estar. Faça-o sempre de maneira sincera, com afeto e com respeito. Mantenha sua porta aberta para as boas pessoas e ignore tudo aquilo que faça mal a você; sua saúde vai agradecer.

Raquel Brito
imagem: google



segunda-feira, 1 de fevereiro de 2016

Adeus seguidores....



Olá amigos...

Quando criei meu blog em 2009... achei que ninguém iria se interessar pelas minhas postagens.
Falo de verdade mesmo...nunca tive a pretensão de ter muitos seguidores.
Mas as coisas aconteceram aos poucos...
Cada um que começava a seguir o blog, meu coração se enchia de alegria!
Era mais um que chegava e tinha alma de passarinho... 
Era mais uma pessoa que se importava com o blog!
Era como um recado: estou aqui com você.

Quando eu vi estava com 100...500...1000...2000...3000
Quando chegou a 3000...nossa! Quanta alegria! Quanta gratidão!
Fiz uma postagem agradecendo e tudo mais...
Mas veio mudanças da plataforma blogger...e meus seguidores se foram...
Cada dia que entro no meu humilde blog...tem menos seguidores...


De um dia para o outro sumiram 300...
De ontem para hoje...foram-se 60...
Amanhã...vai mais uns quantos...
Todos debandando numa revoada de pássaros...


Oh Deus! Não vai sobrar ninguém?

Segundo o blogger...sim sobrarão alguns...Aqueles que tem conta google. 
A partir do dia 11 de janeiro de 2016 não será mais possível seguir blogs com o Google Friend Connect usando o Twitter, Yahoo, Orkut ou outras contas do tipo OpenId.

Se você é blogueiro e notou uma queda no número de seguidores...acesse AQUI e veja a explicação da Equipe de Suporte do Blogger. 

Mudanças...
A vida tem dessas coisas! 
Então, o negócio é aceitar...fazer o que né?

E se você quer seguir o blog e marcar presença por aqui..siga com sua conta google então! 
Agradeço profundamente...

Beijos conformados...

Sheila Costa
do blog Passarinhos no Telhado

sexta-feira, 29 de janeiro de 2016

A morte...e uma reflexão...


A morte, por si só, é uma piada pronta. 
Morrer é ridículo.
Você combinou de jantar com a namorada, 
está em pleno tratamento dentário, tem planos pra semana que vem,
precisa autenticar um documento em cartório, colocar gasolina no carro e no meio da tarde morre. Como assim? 
E os e-mails que você ainda não abriu, o livro que ficou pela metade, o telefonema que você prometeu dar à tardinha para um cliente? 
Não sei de onde tiraram esta ideia: MORRER!!!
A troco? Você passou mais de 10 anos da sua vida dentro de um colégio estudando fórmulas químicas que não serviriam pra nada, mas se manteve lá, fez as provas, foi em frente. Praticou muita educação física, quase perdeu o fôlego, mas não desistiu. Passou madrugadas sem dormir para estudar pro vestibular mesmo sem ter certeza do que gostaria de fazer da vida, cheio de dúvidas quanto à profissão escolhida, mas era hora de decidir, então decidiu, e mais uma vez foi em frente... 
De uma hora pra outra, tudo isso termina numa colisão na freeway, numa artéria entupida, num disparo feito por um delinquente que gostou do seu tênis. Qual é? 
Morrer é um chiste.
Obriga você a sair no melhor da festa sem se despedir de ninguém, sem ter dançado com a garota mais linda, sem ter tido tempo de ouvir outra vez sua música preferida. Você deixou em casa suas camisas penduradas nos cabides, sua toalha úmida no varal, e penduradas também algumas contas. 
Os outros vão ser obrigados a arrumar suas tralhas, a mexer nas suas gavetas, a apagar as pistas que você deixou durante uma vida inteira. 
Logo você, que sempre dizia: das minhas coisas cuido eu
Que pegadinha macabra: você sai sem tomar café e talvez não almoce, caminha por uma rua e talvez não chegue na próxima esquina, começa a falar e talvez não conclua o que pretende dizer.
Não faz exames médicos, fuma dois maços por dia, bebe de tudo, curte costelas gordas e mulheres magras e morre num sábado de manhã. 
Isso é para ser levado a sério? Tendo mais de cem anos de idade, vá lá, o sono eterno pode ser bem-vindo. Já não há mesmo muito a fazer, o corpo não acompanha a mente, e a mente também já rateia, sem falar que há quase nada guardado nas gavetas.
Ok, hora de descansar em paz.
Mas antes de viver tudo? Morrer cedo é uma transgressão, desfaz a ordem natural das coisas. Morrer é um exagero. 
E, como se sabe, o exagero é a matéria-prima das piadas. 
Só que esta não tem graça. 
Por isso viva tudo que há para viver. 
Não se apegue as coisas pequenas e inúteis da Vida... Perdoe... Dance... Sempre!!!

Crônica de Martha Medeiros de 2006
imagem: google


Achei este texto fantástico e reflexivo...
A vida é tão frágil que se desfaz com um sopro...
Pra que tanto orgulho? Tanto "eu acho"? Tanto ódio?
Pra que tanta mágoa? Tantos "deveria"? Tanta preocupação?
Somos nada...somos poeira...
Se morrermos hoje, seremos apenas uma fotografia na estante de alguém...
Depois, nem isso...
Então amigos, menos...
Bem menos...
Viva com alegria e gratidão! 
Viva o momento presente...
Curta as pessoas que ama, seja grato a tudo que te rodeia...
Respire! 
Encha o pulmão de ar... pegue sol....sorria...
Não perca tempo com coisas pequenas...olhe para o que te faz bem...
E o resto deixa passar...

quinta-feira, 28 de janeiro de 2016

Mude o seu foco para mudar sua energia.



Onde colocamos nosso foco, os pensamentos que pensamos e também as histórias que nós nos contamos determinam as emoções e as energias que sentimos dentro de nós. Quando focamos na falta, na luta, no drama, na dor, sentimos um aperto e irradiamos uma energia baixa e fraca.

Quando situações monstruosas que não podemos controlar desdobram-se por fora de nós, devemos simplesmente abrir mão de lutar contra elas e trabalhar na única coisa que podemos controlar, que é aquilo que está dentro de nós. 

Podemos usar o poder do nosso foco para criar uma mudança em nossa energia sem precisar de nada fora de nós mesmos para realizá-la. 

Você tem que lembrar que qualquer coisa a que dê sua atenção, energia e foco irá expandir-se. Quanto mais preocupar-se, inquietar-se e pensar em seus problemas e desafios, mais fortes você os estará fazendo e mais deles irá experimentar. Você não precisa enxergar tais situações pelos olhos do medo. Pode escolher encontrar e focar na paz, apesar dos desafios. 

Mude seu foco:

> Foque naquilo que está funcionando neste momento, em vez daquilo que não está. O que está funcionando bem em sua vida neste momento? Você é grato por isso ? 
Afirme: Tudo está trabalhando perfeitamente bem para mim. 

> Foque naquilo que você tem, não naquilo que você não tem. O que você já tem em sua vida neste momento que te conecta ao que você quer?
Afirme: Tudo que desejo já está a caminho. 

> Foque naquilo que ama, não naquilo que não gosta. O que há em sua vida neste momento que você realmente ama e aprecia?
Afirme: Muito mais daquilo que amo flui para minha vida a cada dia. 

> Foque na sua paz, não nos seus medos. Como você pode trazer mais paz para sua vida neste exato momento?
Afirme: A paz começa comigo. 

> Foque no momento presente em vez de seu passado ou futuro. O que você pode deixar para lá do seu passado ou relacionado ao seu futuro de forma que você possa estar aqui agora mesmo?
Afirme: Neste exato momento tudo está perfeito, inteiro e completo.

Pensem nisso. 

Mangala Bhadra Núcleo Holístico de Terapias


terça-feira, 26 de janeiro de 2016

A energia trocada do sexo e suas consequências...


Sexo é maravilhoso, não podemos negar isso. Se relacionar com alguém significa trocar, compartilhar algo, principalmente trocar "informações" que vem através da energia. Cada pessoa que passa pela sua vida deixa em você um "fio" de energia conectado e com o sexo isso não é diferente. Mas no sexo existe algo a mais que é trocado e este pode vir a ser um problema dependendo da pessoa que tiver transado porque estes fios ficam por muito tempo conectados a você e você fica então trocando informações energéticas por muitos anos ainda. Com o tempo os fios vão diminuindo de espessura e os vínculos são cortados, mas leva-se anos.

Nos fluídos corporais existe uma informação que carrega como um código aquilo que cada um é. Quando através do sexo entramos em contato com esta energia "puxamos" parte desta informação para a gente, como se estivéssemos puxando parde dos problemas desta pessoa. Se você então tiver transado com alguém problemático por exemplo, você fica contaminado com estes problemas de certa forma muito mais que outras pessoas. É como uma teia de informações, que se espalham do outro para você e vice versa. Imagine que você deixa de estar totalmente "puro" quando se mistura desta forma com outras pessoas. Usar camisinha ajuda a não misturar tanto essa energia, mas mistura mesmo assim, com menos intensidade.

Claro que não dá para ficar sem sexo, até porque através do orgasmo é possível se conectar com a energia divina e com isso trazer poder de criação para a sua vida, mas esta já é outra história para ser explicada em outro artigo. Bem, quando você puxa para você informações, que não são suas, isso pode atrapalhar sua caminhada, pois você levará mais tempo para limpar tudo isso, ou melhor, resolver. O importante é ter consciência destas trocas e também ter respeito pela história do outro. Quando a gente abençoa a vida do outro, sua história de vida e seu caminho a gente começa a desfazer estes vínculos, agora quando a pessoa fica com raiva, etc...aumenta este vínculo. Tudo é energia.

O outro e nós somos na verdade um só, viemos da mesma fonte. A questão é que estamos em momentos diferentes, e quando você transa com alguém mais "atrasado" neste aspecto que você "volta" um pouco para trás novamente. É como uma influência que acontece como nos vínculos que temos na vida no geral. Você pode perceber que sua turma de amigos ou conhecidos, enfim, as pessoas que você mais convive dia a dia são a "média" daquilo que você é. Ou seja, aquilo que nos conectamos, faz parte daquilo que somos no momento. Quando estamos no meio de pessoas bem resolvidas por tabela vamos ser influenciados e vice versa. Portanto, a chave é a consciência, o respeito e a entrega de corpo e alma. A entrega para si mesmo. Quando isso acontecer você só se envolverá com tudo aquilo que sente que vale a pena, pois estará cuidando do seu templo, do seu corpo! Pense nisso.

Cristina Longhi 
Fonte:Stum
Imagem: google

Se quer saber a realidade que você está construindo...



Se quer saber a realidade que você está construindo neste exato instante, observa o conteúdo das palavras que estão saindo de sua boca. Esta é a energia que você está emanando ao mundo. Através das tuas palavras você gera emoções e reações de outras pessoas. São as tuas palavras e o que você diz que determinam as consequências energéticas que vão se transformar em realidade quântica que você vai experimentar. Então presta atenção. Só isso. Somos viciados demais em drama, em catástrofes e em tragédias. Nos vitimizamos demais e adoramos encontrar culpados e vilões para nossos problemas. E, assim, vamos criando nossas realidades baseados naquilo que dificilmente escolheríamos viver, caso a opção fosse nos dada exatamente desta forma. Por isso fale apenas o que você gostaria de ouvir, emane suas opiniões sobre situações e pessoas sabendo que a sua visão de mundo tem mais a ver com você do que com o mundo e nunca se esqueça de que apontamos um dedo para o outro enquanto outros 3 são apontados para nós mesmos. E siiim, você pode desabafar com seus amigos sobre seus problemas. Mas desabafar não é ficar ruminando medos.

Flavia Melissa
imagem: google



Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...